Blog UPBE | Mindful Eating: tenha uma relação consciente com a comida
515
post-template-default,single,single-post,postid-515,single-format-standard,qode-listing-1.0.1,qode-social-login-1.0,qode-news-1.0,qode-quick-links-1.0,qode-restaurant-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,qode_grid_1300,qode-content-sidebar-responsive,qode-theme-ver-12.0.1,qode-theme-bridge,bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.4.2,vc_responsive

Mindful Eating: tenha uma relação consciente com a comida

Mindful Eating: tenha uma relação consciente com a comida

Hoje travamos uma batalha com a comida. Quer para manter a forma, quer para perder peso, para adequar-se a restrições médicas, ou para nos moldar a restrições impostas por nós mesmos, tentamos controlar nossa alimentação. Classificamos alimentos, rotulamos o que é ou não adequado, comemos quando não temos fome ou a enganamos quando ela aparece. Em nossa vida moderna distorcemos um ato simples, essencial e especialmente prazeroso que é comer e o transformamos em algo bastante complicado, e que em algumas situações tem levado a um grande sofrimento.

Comer é uma função biológica essencial para nos manter vivos , além disso dispomos de complexos circuitos em nosso sistema nervoso para assegurar que estejamos suficientemente motivados para ir em busca de comida , como os sinais da fome e impulsos que nos sinalizam que estamos satisfeitos e que o corpo já recebeu o que precisava para se manter por um tempo, que é a escuta da saciedade.

O que deve ser feito com a fome?

Ouvir e saber interpretar esses impulsos atendê-los no momento certo e acima de tudo respeitá-los, nos faz estar conectados com a nossa sabedoria interna, a sabedoria de nosso corpo que por séculos e séculos tem nos mantidos vivos.

Associada a esse desequilíbrio em relação à alimentação, travamos outro em paralelo.  Vivemos em uma era sobrecarregada de altas cargas de estresse, pressões e que nos mantém conectados 24 horas por dia, nossas mentes navegam entre passado e futuro, o que muitas vezes nos causa ainda mais desgaste. E toda essa atividade nos mantém desconectados do momento presente e ao nos desconectarmos perdemos nossa habilidade de interpretação desses sinais vitais, de fome e saciedade, gerando mais desequilíbrio e insatisfação em torno do ato de se alimentar.

LEIA TAMBÉM

Mindfulness: essa prática pode melhorar sua qualidade de vida

O que é ter um estilo de vida saúdavel

Dieta sem acompanhamento representa risco à saúde

O que é Mindful Eating?

Comer com atenção plena ou Mindful Eating é uma experiência que envolve corpo, mente e coração. “É estar completamente atento, momento a momento, transformando de forma consciente está difícil relação com a comida”. Comer com atenção plena te reconecta a seus sinais internos de fome e saciedade. Abrindo essa escuta você saberá: quando comer, quando

deve parar e volta a perceber os sabores de cada refeição. Comer com atenção plena leva seu olhar além das escolhas alimentares, mirando o COMO, QUANDO e QUANTO comer.

O que acontece quando comemos com atenção plena?

Quando comemos com atenção plena, focamos na textura, no cheiro, no sabor de cada alimento que levamos até a boca.  Mas, não se trata apenas de comer devagar. Claro que comer de maneira mais lenta, mastigando melhor cada pedaço, em um lugar aconchegante sem muitos ruídos, facilitará todo o processo.  Mas, trata-se sim, de ampliar sua conexão com suas sensações corporais, suas emoções e seus pensamentos e o que te impulsiona ou não a comer.

De nada adianta você comer apenas sem pressa, mas sua mente estar lá no futuro, planejando suas próximas tarefas ou no passado, remoendo algo que não aconteceu da maneira que esperava. Trata-se de prestar atenção, momento a momento, sua experiência no momento presente. Podemos transformar um simples ato de comer em uma grande oportunidade para dar uma pausa a nossa rotina exaustiva e aproveitar por completo esta grande fonte de prazer.

Entre os princípios de comer com atenção plena, podemos destacar:

  • Aprender a estar consciente de sua fome física e dos sinais de saciedade para guiar suas decisões de quando comer e quando parar de comer.
  • Reconhecer a resposta dos alimentos (agradáveis ou não) sem julgamentos.
  • Permitir se dar contas das oportunidades nutritivas e positivas que estão disponíveis através da seleção e preparação dos alimentos, respeitando sua sabedoria interna.
  • Utilizar todos os sentidos para escolher alimentos que são tanto prazerosos como nutritivos para seu corpo.

*Por Valéria Bordin, Especialista e Instrutora de Mindfulness

Compartilhe
Sem comentários