Blog UPBE | Só mais um site WordPress
269
home,page-template,page-template-blog-large-image-whole-post,page-template-blog-large-image-whole-post-php,page,page-id-269,qode-listing-1.0.1,qode-social-login-1.0,qode-news-1.0,qode-quick-links-1.0,qode-restaurant-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,qode_grid_1300,qode-content-sidebar-responsive,qode-theme-ver-12.0.1,qode-theme-bridge,bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.4.2,vc_responsive
 

BLOG

A edição de fevereiro de 2017 da Molecular & Cellular Proteomics publicou a descoberta de uma ação da restrição calórica no envelhecimento lento. Pesquisadores descobriram que comer menos retarda a produção de proteínas pelos ribossomos das células (organelas responsáveis pela síntese de proteínas), o que retarda alguns sinais do envelhecimento.

Todo mundo sabe que a medida que envelhecemos nosso corpo muda. Conforme se passam os anos, há notadamente um aumento de gordura corporal e redução de massa muscular, além de outras mudanças, como mais suscetibilidade a doenças. Mas será que essas mudanças não podem ser moduladas e virem em ritmo mais lento? A resposta talvez esteja na "magrela" (bicicleta) encostada no canto da sua garagem.

Quando  sentimos muita tensão nos músculos da face,  dores de cabeça, dor nos dentes, tensão ao acordar, bruxismo,  até ranger os dentes também durante o dia, isso pode acarretar em um monte de probleminhas. Uma dor nunca vem sozinha e os reflexos são incômodos e dolorosos trazendo stress , cansaço, quebra de dentes, dor de ouvido, enxaqueca, mal estar, entre outros.

Podemos definir fadiga como sensação de cansaço ou falta de energia que não está relacionada à exaustão (como após exercícios físicos extenuantes). A síndrome de fadiga crônica é uma doença com prevalência de 3 a 5% da população e é caracterizada por fadiga incapacitante e prolongada com duração de pelo menos seis meses, sem causas orgânicas (doenças) ou metabólicas diagnosticadas que expliquem a fadiga.