Blog UPBE | Menos dias de férias, menor expectativa de vida
639
post-template-default,single,single-post,postid-639,single-format-standard,qode-listing-1.0.1,qode-social-login-1.0,qode-news-1.0,qode-quick-links-1.0,qode-restaurant-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,qode_grid_1300,qode-content-sidebar-responsive,qode-theme-ver-12.0.1,qode-theme-bridge,bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.4.2,vc_responsive

Menos dias de férias, menor expectativa de vida

Menos dias de férias, menor expectativa de vida

Um estudo realizado na Finlândia durante quase 40 anos demonstrou que indivíduos que tiram menos férias tem risco maior de mortalidade e expectativa de vida. Os indivíduos acompanhados no estudo que tiravam menos que 3 semanas de férias por ano tinham risco 37% menor de mortalidade durante o segmento do estudo.

Esse risco mais elevado se mostrou igual entre os participantes que tinham atividade física regular e dieta balanceada – o que demonstrou que “se desconectar” da vida estressante do cotidiano tem impacto na longevidade maior que se supunha.

O estudo acompanhou mais de 1.200 homens desde 1975, avaliando diversos aspectos de estilo de vida e seus impactos na saúde. Indivíduos com menos períodos de férias por ano normalmente trabalham mais e dormem menos quando comparados aos que tiram mais de três semanas por ano de férias.

O estudo faz parte de um estudo de COORTE realizado na Finlândia chamado Helsinki Businessmen Study (HBS).

E você, desde quando está sem férias completas?

Referência:
Cohort Profile: The Helsinki Businessmen Study (HBS)
International Journal of Epidemiology, 2018

Compartilhe
Sem comentários